Como podemos Reaprender a Ser crianças – Adultos com Alma e Sensibilidade das Crianças

Nininha se escondendo 31102011 19-07-2015

Tenho uma netinha que, como toda criança inteligente, é muito esperta, curiosa e de uma Imaginação que só mesmos as crianças conseguem ter. Quando esta imaginação  tem a oportunidade de ficar exposta a diferentes estímulos a sua curiosidade e vontade de Aprender, tais crianças são capazes de nos dar incríveis lições de Vida, de Valores Humanos e de Raciocínio que jamais imaginaríamos em crianças tão pequenas. Elas sempre conseguem nos surpreender com alguma demonstração fascinante de suas inteligências!!!

Exercer a Maternidade fez-me crescer e aprender imenso com meus filhos. E quando eu imaginei que nada mais teria a aprender sobre as crianças…, descobri que  Ser Avó,  tem me feito perceber detalhes, muitas vezes imperceptíveis às mães (sempre ocupadas). Cada experiência que tenho quando estamos juntas me proporciona um novo aprendizado. Esses aprendizados, inclusive, surgem em aspectos que nunca imaginei antes. Observar minha netinha vem me ajudando a aprimorar minha capacidade analítica. Como crianças podem nos ajudar a descobrir ‘detalhes’ tão importantes de um Ser Humano que nos levam a  raciocinar, se não ‘melhor’, pelo menos sob um ‘prisma diferente’ do que estamos habituados?

 Imaginação fértil

Minha netinha repete algo que eu fazia quando criança: adora esconder-se embaixo de alguma coisa e, quando o espaço permite, fica ali, brincando sozinha – sozinha não, brincando com a sua ‘Imaginação’, com os ‘amiguinhos’ que cria, em ‘lugares’ que só acontecem dento da cabecinha dela. E isso desde bem pequenininha!!

Ela provoca minha curiosidade tanto quanto percebe que eu provoco a dela. Ela percebe exatamente ‘como’ cada pessoa de suas relações É, e muda sua conduta com cada uma, de acordo com o que vai ‘percebendo’ das atitudes e reações delas – o que mais gostam, e o que menos gostam, o que nos faz felizes e o que nos desagrada…

Outro dia sua barraquinha transformou-se desde uma ‘casinha’, a um ‘castelo’…, transformando-se, ao final, em uma espaçonave. Qual a ‘Mágica’?  Lógico…, SUA Imaginação e criatividade!!

E bastou isso para me fazer questionar, analisar, refletir sobre o que eu afirmei – Imaginação tem Lógica? Por que as crianças são tão criativas, imaginativas, capazes de transformar um dia, ou uma brincadeira ‘comum’ em situações tão especiais e Incríveis?

A imaginação infantil é realmente fantástica. O mundo que as crianças criam foge às restrições que os adultos se impõem por acharem que  “conhecem a realidade”. Não tem autor de Cinderela ou Harry Potter que consiga criar estórias tão fantásticas quanto nossas crianças.  Num simples ‘olhar curioso e inteligente’ nasce, do ‘nada’ lições de vida que não conseguimos descobrir de onde surgiram.

No início, as crianças apenas imitam os adultos no que fazemos e dizemos, mesmo sem entenderem o que tais gestos ou palavras significam de verdade. Conforme vão crescendo e interagindo com os adultos, vão percebendo o significado deles (palavras e gestos), sem que qualquer pessoa precise lhes ensinar – apenas pelas reações dos adultos elas já descobrem o que é BOM, e o que é RUIM dizer ou fazer.

Poderíamos nós, também, como adultos, resgatar a ‘criança’ que fomos e estender um pouco mais os horizontes do nosso cérebro, o que nos permitiria sermos mais criativos ao buscarmos soluções para nossos problemas pessoais ou profissionais…, e menos Preconceituosos?  Como se costuma dizer ‘sairmos da caixa’ e “viajarmos” sem sairmos do lugar onde estamos?

Talvez Santos Dumont tenha sido inspirado por sonhos de criança para realizar sua maior invenção. Seria fácil aceitar no passado que algo pesando mais de uma tonelada poderia alçar voo como nossos aviões de hoje?

Valores Humanos

Nós, adultos, nos vemos limitados por um monte de convenções e cuidados que, no fundo, são totalmente  dispensáveis.

As crianças não sofrem desse mal chamado Preconceito. Esta é uma ‘doença Contagiosa’ que somente os Adultos estão sujeitos a pegar e a transmitir. Crianças são sinceras, diretas e descompromissadas com essas bobagens. Se tivéssemos isso, conseguiríamos quebrar, com muito mais facilidade, ideias preconcebidas que nunca testamos. Apoiar-se na sabedoria convencional que a Sociedade nos ‘ensina’, por exemplo, pode nos fazer nunca ver a verdade de fato. Crianças simplesmente ‘fazem amigos’ e, talvez por isso, as amizades mais fortes que temos durante nossa vida, sejam aquelas que nasceram na nossa infância. Elas, quando pequenas, não perguntam de onde seus amigos vieram, onde moram, o que seus pais fazem, se são ricos ou pobres, se são brancos, negros, asiáticos, índios… São todas simplesmente crianças…, e o que querem é se divertir, rir, brincar…, enfim aprender umas com as outras e estar em Paz, sem brigas.

Humildade

Todos nós facilmente nos lembramos de estórias engraçadas de crianças e suas perguntas indiscretas. Elas não têm qualquer vergonha de questionar sobre coisas que não entendem e que não se explicam no modelo de realidade que construíram até então.

Isso permite que aprendam mais rápido e percam menos tempo para obter a informação que julgam precisar. Não ficam, como nós, adultos, buscando ocultar a ignorância e se satisfazendo em manter a imagem (mesmo se isso significar continuar a ficar sem saber o que se quer).

Curiosidade

As crianças têm uma sede enorme de saber. Percebem que o mundo é muito maior do que conhecem e sentem uma constante necessidade de correr atrás do que desconhecem.

Vamos crescendo e perdendo o gosto por aprender. Achamos que já sabemos o suficiente. Pensamos que sabemos mais do que os outros. Acredito realmente que a humildade alavanca a curiosidade: a primeira é um campo fértil para a segunda crescer.

Além disso, vamos nos alimentando com a torrente de informação que recebemos pela Internet, redes sociais, etc. Entretanto, muitas vezes não conseguimos absorver algo que seja proveitoso.

Em vez de nos satisfazermos com informação, temos que transformá-la em Aprendizado, Conhecimento, ampliando o nosso mundo, que, por mais que queiramos mostrar diferente, consegue se transformar em algo ainda menor do que nosso mundo era na nossa infância. Porque, nela, se pouco sabíamos, isso era compensado pela nossa imensa ‘imaginação e criatividade’.

Esbanjam energia

Isso é algo que eu realmente invejo nas crianças: a energia delas nunca acaba. Parece que estão ligados direto na tomada. Seria bom ter um décimo da disposição que eles têm. Ia sobrar muito mais competência para raciocinar de um jeito mais efetivo.

É verdade que isso não é algo que a gente possa aprender, mas há coisas em que podemos nos espelhar: em vez de gastar energia com TV e outras besteiras, por que não “desabar” na cama, como eles fazem depois de tantas brincadeiras, e descansar mais? Nosso “tanque” pode ser menor, mas ficaria assim mais abastecido.

Ser mais otimista!!!

As preocupações excessivas costumam tomar muito de nossas forças. Funciona como o modo  ‘stand by’ de uma TV: é um gasto de energia desnecessário, com nenhum resultado útil. Só que nesse caso a perda é muito maior, um stand by muito mais custoso que o da TV.

Eu não vejo crianças que levam uma infância natural a sua idade, preocupadas com alguma coisa. Nem mesmo com as ‘tarefas da escola’. Porém, se nós, adultos tentassemos relaxar e ser um pouquinho mais “pollyana” faria muito bem. Um dos efeitos de ser mais otimista é economizar o vigor para outras coisas mais importantes. Libera a mente para raciocinar e analisar com muito mais eficácia. É um Bom Propósito!!

foguete interplanetário

foguete interplanetário

Angela Alem                                                                                                                         18 de Setembro de 2015

Anúncios

5 comentários sobre “Como podemos Reaprender a Ser crianças – Adultos com Alma e Sensibilidade das Crianças

  1. Está excelente este seu texto (como todos os que escreve), minha querida Angela Alem. ❤ ❤ Se os Homens dessem mais atenção às crianças e não complicassem tanto a vida com 'protocolos' mas desenvolvessem coerentemente os Valores Humanos (quer em termos educacionais, quer profissionais), o mundo estaria bem melhor.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Obrigada por suas palavras, querida amiga Martinha e meu querido Alfredo. Quanto mais observo o mundo e as pessoas, mais tenho certeza do quanto ainda somos ignorantes sobre nós mesmos, como seres humanos. E vamos morrer sem saber, por mais que aprendamos!!! Seremos sempre, eternos aprendizes!!! carinho ❤

    Curtir

  3. Observe uma coisa, Ângela. Todas as crianças são iguais em qualquer parte do planeta. Todas tem o mesmo comportamento, atitudes e pensamentos. Se vc colocar varias crianças de diversas etnias juntas, todas vão brincar e se entenderem. Todas as crianças tem as mesmas fantasias (respeitadas as realidades de cada uma), mas tem fantasias. A melhor de nossas épocas.

    Curtido por 1 pessoa

    • Isso tudo eu já sei, Marcelo. Meu objetivo neste texto foi simplesmente mostrar o quanto nós, dultos, perdemos, passamos a não dar a importância devida no quanto o Mundo ganharia nas Relações Humanas se nós permanecêssemos com Alma de Criança. Obrigada pelo seu comentário.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s